Lançamento do foguete MM 2.1

No dia 12/10/2015 efetuamos o primeiro lançamento do foguete MM 2.

Aprendemos muito com esse lançamento:

  • As aletas de plásticos não resistem a potência;
  • A pressão na câmara de combustão foi tão alta que o corpo do motor explodiu;
  • Talvez tenhamos usado muito combustível.

Purificando nitrato de potássio

Na construção de um foguete amador usamos um combustível composto de nitrato de potássio (KNO3) e sacarose. Porém não conseguimos encontrar nitrato de potássio puro. Por isso pesquisei maneiras de purificar o nitrato encontrado no adubo. O nitrato de potássio é moderadamente solúvel em água, mas conforme a temperatura da água aumenta, aumenta sua solubilidade.

Solubilidade KNO3

O processo para a purificação do nitrato de potássio é muito simples. Para isso vamos precisar de:

  • Adubo rico em nitrato de potássio. Usei um chamado Krista K;
  • Uma panela;
  • Um fogão;
  • Uma colher de pau;
  • Água;
  • Filtro de papel para café;
  • Uma jarra de vidro ou um vidro de conserva.

Instruções:

  • Colocar na panela o adubo e água. A quantidade de água não é importante, desde que seja o suficiente para dissolver todo o adubo;
  • Ligar o fogão e aquecer a água até ferver. Usar a colher para mexer a solução;
  • Assim que a água ferver o adubo estará completamente dissolvido. O fogão poderá ser desligado;
  • Despejar o conteúdo da panela na jarra ou no vidro passando a solução pelo filtro. Isso irá reter algumas impurezas;
  • Deixar a solução descansar.

Cerca de 24 horas depois irão se formar cristais de nitrato de potássio. Se você tiver muita pressa, pode colocar a solução em um congelador para acelerar o processo, mas não deixe a água congelar. Depois que os cristais estiverem formados jogue a água fora. Despeje os cristais em um pote e deixe secar. O resultado será nitrato de potássio praticamente puro!

Foguete MM2 – Teste I

A agência espacial [sem nome] apresenta o teste I do foguete MM2.

Neste procedimento testamos o motor e o combustível. Confira o resultado surpreendente no vídeo a seguir:

O combustível utilizado foi fabricado com nitrato de potássio recristalizado e açúcar de confeiteiro.

Combustível ICombustível IICombustível IIICombustível IVCombustível V

Detalhe para um dos grãos de combustível dentro do foguete:

Combustível VI

Falha no lançamento do foguete

Como toda agência espacial que se preze, destruímos um de nossos foguetes em um desastrado teste de lançamento.

Problemas no lançamento do foguete

Problemas no lançamento do foguete

Lições aprendidas:

  • É mais seguro usar um fio comprido para a ignição;
  • É melhor aguardar a contagem para iniciar a ignição, não é Cleiton?
  • Suspeitamos que a tubeira entupiu e isso causou a explosão ou o compartimento do lançador de paraquedas explodiu.

O vídeo a seguir mostra o lançamento, destroços do foguete e claro, o cinegrafista se acidentando.

Agora é voltar para a prancheta e preparar o próximo lançamento.

fail01

Combustível para foguete – Teste 2

Este é nosso segundo teste de produção de combustível para foguete.

Desta vez utilizamos os seguintes ingredientes:

200g de KNO3

123g de açúcar

A proporção de nitrato de potássio e de açúcar é de 62% de nitrato e 38% de açúcar.

Iniciamos cozinhando a mistura em banho maria.Depois de 10 minutos em 80° C não notamos nenhuma alteração na aparência da mistura.

Depois de 15 minutos abortamos o cozimento em banho maria e passamos para fogo direto.

Combustível

Depois de 20 minutos o aspecto da mistura era esse:

Combustível pronto

Desta vez o combustível queimou de forma satisfatória, por isso fizemos um teste de queima.

O resultado foi bom, mas parece que o combustível não queimou tão rápido quanto esperávamos.

Vamos aguardar o teste 3…

Combustível para foguete – Teste 1

Foguete

Este é o primeiro teste para a construção de um foguete. Cleiton e eu tentamos fabricar o combustível com nitrato de potássio e açúcar. Seguem os dados do experimento:

Teste realizado dia 28/01/2015.

Ingredientes:

550g de nitrato de potássio – KNO3;

250g de açúcar;

250g de água.

O nitrato e o açúcar foram triturados. Levamos tudo ao fogo e iniciamos o cozimento ás 18:14. Usamos uma panela velha que parecia um pouco suja. Ás 18:17 a temperatura era de 52° C e a mistura começou a ferver. Ás 18:20 a mistura chegou a 100° C e iniciou-se um problema com espuma. Não tínhamos visto isso nos vídeos e suspeitamos que era a sujeira da panela. Diminuímos o fogo ás 18:23, quando a temperatura era de 106° C. Ás 18:29 a mistura começou a borbulhar e a espuma baixou. A temperatura era de 102° C. Ás 18:30 o açúcar começou a caramelizar. Ás 18:34 sentimos cheiro de açúcar queimado. Ás 18:41 retiramos a mistura e abortamos o processo. O teste foi mal sucedido.

Suspeitamos que o problema foi a queima do açúcar. Em alguns pontos da panela a temperatura passou de 180° C.

Este foi o primeiro teste e esperamos aprender com nossos erros.